sábado, 30 de janeiro de 2010

Iggy Pop-We Have All the Time in the World

Um dos meus filmes mais viajantes tem esta música na trilha. The Jacket

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

FILTRO SOLAR GAUDÉRIO

Mais uma versão a este equívoco nacional.

Preservativo !!! Pretinho Básico

No words!

Pobre vídeo do filtro solar!

Há uns quatro ou cinco anos eu tinha um DVD que recebi para ajudar nas aulas de inglês e cursos que ministrava neste idioma. Era sempre infalível, as pessoas ficavam com os olhos cheios de lágrimas. Muitos me abraçavam na hora de sair da sala.

"Sunscreen", foi produzido em 1999 pela agência DM9DDB, onde na época Erh Ray e José Henrique Borgui eram parceiros de criação. A idéia para o "comercial" veio de um texto lido por um orador em uma cerimônia de formatura nos EUA no ano de 1997. Em 1º de Junho daquele mesmo ano, a jornalista Mary Schmich publicou o texto em sua coluna no jornal The Chicago Tribune. Foi a partir disso que a redação chamada "Wear Sunscreen" circulou o mundo através de e-mails e chegou nas mãos de Ray e Borgui. Eles transformaram o texto em um vídeo extremamente emocionante e bem produzido.

Logo ele ganhou uma hilária versão chamada Drink Beer (beba cerveja).

Aqui no Brasil fiquei horrorizada um dia quando ouvi numa rádio curitibunda o locutor elogiar a inteligência do famigerado Pedro Bial (aaarrghhh!) - o próximo Cid Moreira (aarrghh again) por criar (!?!) este vídeo.

Por isto posto a magnífica versão do programa que eu adoro, disponível em podcast, Pretinho básico.

Use filtro solar, mas abandone o sintoma de miséria e pobreza de assistir globeira, comentar BBB...

sábado, 23 de janeiro de 2010

Não perca!


Só faltava o Wander (Wildner) e o Stuart cantando Dançando em Blumenau!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Adoção de haitianos e um novo país


Sei que todo mundo desliga a TV, o rádio, troca de canal, fecha o jornal, cansado das imagens terríveis do fim do mundo que para eles chegou adiantado. Mas não posso deixar de elogiar emocionada o perdão da dívida (apesar de isso ser uma estratégia de marketing, das mais positivas) do país pelos meus fratellos ditalia, e desta notícia ainda melhor que copio da Reuters e é mais ou menos isso:

O líder do Senegal propôs a criação de um novo Estado africano para abrigar haitianos:

"Tudo o que estamos dizendo é que os haitianos não os levaram para lá. Eles estão lá devido à escravidão, cinco séculos de escravidão", disse Wade à Reuters TV nesta segunda-feira.


"Temos que lhes oferecer a chance de vir à África, esta é a minha ideia. Eles têm tanto direito na África quanto eu tenho", afirmou ele sobre a proposta, que se tornou pública no fim de semana e deve ser submetida à União Africana, bloco de 53 países.

Wade se proclama defensor dos pobres no cenário internacional. Críticos afirmam que ele possui uma veia populista e que seus planos nem sempre se concretizam, mas o líder de 83 anos ignora os céticos."

Os fins, neste caso, justificam os meios. Pelo menos a vaidade e o egocentrismo de alguns tem dado frutos em favor dos que necessitam.

Brave new world!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Conserte seus filhos, amigos, vizinhos e parentes.

Você já concordou totalmente com alguém ou alguma linha de pensamento? No meu caso, Carl Jung, que agora terá um livro póstimo lançado que eu estou morrendo de curiosidade de ler. Mas aqui na nossa área mesmo, temos um gênio que me deu muita luz para lidar com o mau caráter das pessoas e corrigir grande parte delas e de meus problemas:



Ladies and gentelmen: Sr. IçamiTiba!

Sempre concordei com meus amigos psicólogos que só um especilista (no caso da maioria da população a solta, psiquiatra) para conseguir nos dar um manual de instruções de como amenizar o duro convívio com psicopatas, esquizofrênicos e demais criaturas que nos circundam.
Eu entendo perfeitamente que nem todos são "leituraholics" como eu, mas se não puder ler grande parte de sua explêndida obra completa, e ainda por adicionar mais, eu espero, leia pelo menos estes:



Para conviver melhor em casa e não criar marginais.


Este, que deve ser o livro de cabeceira de todos os que moram em cidades grandes e não se aplica só a filhos, como a colegas de trabalho, condôminos, pedreiros, vizinhos, familiares, mutantes, vampiros, dêmonios, almas penadas em geral, cachorros, gatos, papagaios, periquitos, insetos e etc...

Eu tenho um, que emprestei, por isso não reproduzo a capa aqui, que é específico para adolescentes: Adolescentes, quem ama educa.

Não pense que estes livros só ajudam a lidar com crianças e lembre-se, que mesmo que assim fosse, muitos não evoluem além dos três anos de idade mental. Confirmo esta teoria de um norte americano cujo nome o Ginko Biloba não é capaz de me fazer lembrar com os shoppings e a 25 de março ultra-mega-super-lotados de gente atrás de tranqueira imaginando que com uma traquitana ou, no melhor carioquês, pano de bunda (ou pé) resolve os problemas que sua boca (e olho) grande causa.


Tente ampliar não só o livro como o conceito. E agradeça aos céus.

Uma amiga comprou a coleção de bolso para tentar lidar com os filhos emburrescentes que só davam prejuízo. Um dia quase teve um ataque cardíaco quando um dos filhos, sabe-se a qual santo atribuir o milagre, leu um deles e passou a comentar com os irmãos. A partir deste dia, Marie Elise disse que acenderia velas por Santo Içami. Não só passaram a se degladiar menos como o que ela aprendeu ali ajudou a lidar e dizer não a pessoas de seu convívio e até de mandar um sonoro PQP! numa situação onde antes apenas teria como consolo chorar de raiva e de humilhação.


Não fosse a conivência de nossos dirigentes com este pesadelo que destrói tantas vidas, e este livro seria distribuido na rede de saúde pública. O título dispensa lamúrias e comentários a meus inteligentes (e críticos) leitores.
E, the last but not least:

Me apaixonei por esta capa por lembrar tanto um casal tão maravilhoso que admirava mesmo quando tinha pouca noção do que era amar e do relacionamento de respeito que todo mundo sonha ter com alguém: John e Yoko. Naquela época em que uma criança podia entender o que era ficar nu (quando não havia danças do tchan nem mulheres melânsias (de ânsia de vômito mesmo), para protestar contra a matança do Vietnam e do mundo inteiro, que ainda sofre com genocídios como o do nosso próprio povo nordestino, onde ONG nenhuma vem se estabelecer por não ter as riquezas da amazônia, por exemplo.
 Enfim, comece o ano, a nova década, fazendo algo de melhor por si e para o mundo bebendo nesta fonte de sabedoria que é este homenzinho pequeno em estatura, mas imenso em sua generosidade de compartilhar com pessoas comuns em nossa linguagem simples ferramentas para assentarmos tijolinhos de paz e tranqüilidade.

Não corrijam acentos e tremas pois este blog utiliza a liberdade poética para escrever e não a língua portuguesa.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Ano novo, problemas velhos.

Este blog, enlutado, lamenta as milhares de vidas perdidas no Haiti, e nos acidentes e crimes que empanaram o brilho deste que pode ser meu penúltimo ano na terra. Talves seja impressão minha, mas ultimamente nada de bom acontece, pelo menos nos noticiários. Até escondida na praia: um caminhão da prefeitura matou um turista após jogar em cima do coitado do china (estava assim no jornal!) uma montanha de areia, quando limpava a areia.
Ontem perdi o dia na pretensa civilização tentando pela enésima vez conseguir extratos para recuperar perdas do plano collor (o nefasto) e o atendente queria o número da caderneta naquela longínqüa época. Nem a mãe Diná poderia imaginar que um dia aqueles dados iriam servir para alguma coisa, imagine eu, ponre mortal.
Meus queridos, como diz o Christian Pior:

Corage!!!!!!!!!


sábado, 2 de janeiro de 2010

Happy 2010




A música que mais toca aki: você vai embora hoje amanhã eu vou atrás...