domingo, 1 de junho de 2014

Descontração


quinta-feira, 1 de maio de 2014

What? Wattpad

O wattpad é um site muito fácil de se utilizar, não tem as armadilhas de clube de autores, perses (perdas de tempo) e outros que travam e nem Cristo consegue publicar nada. E o pior: não há divulgação ou leitores. Só uma miríade de escritores.
Se é para escrever por escrever e registrar em algum local, o wattpad cumpre esta função. 

Visite o meu perfil e minhas obras lá e confira:

http://www.wattpad.com/user/AWildGarden




terça-feira, 1 de abril de 2014

Celebrating April Fool's Day

Em 01 de abril de 1966, David Bowie lançava seu primeiro compacto, com a música "Do Anything You Say"...

https://www.youtube.com/watch?v=Ux9Rb76Ac8I



Nesta fatídica data também ocorreu o golpe militar que destruiu o país e o cérebro da população irreversivelmente.

Neste dia, lastimavelmente, Marvin Gaye foi assassinado por seu pai. Um anos antes Marvin começou a ficar depressivo, cismando que alguém queria assassiná-lo. Por isso deu uma arma de presente para o pai se defender em caso de ataque. Um dia antes de completar seu 45º aniversárioAcabou assassinado pelo pai, o pastor  Marvin Pentz Gay Sr. foi assassinado com um tiro (por seu próprio pai!), após uma briga iniciada quando os pais de Gaye discutiam sobre a perda de documentos de negócios. A ironia é que Gaye foi morto pela arma calibre 12 que ele próprio havia dado de presente para o pai.

Abaixo em foto com a lacraia mercenária Diana Ross





domingo, 16 de março de 2014

Polícia interdita rodovia para procurar pênis perdido

Main Entry Image













A polícia de Middlesbrough, England fez esta façanha após encontrar às margens da movimentada rodovia desorientado e com o pênis cortado.
Um rapaz de 22 anos foi preso para averiguação e a vítima foi para o hospital e ali ficou em coma induzido.

sexta-feira, 7 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

Sobre psychocarnival, zombie walk carnavalesca e fins afins

Muitos ignoram que um grupo que antes foi pequeno, mas ruidoso que só, conquistou outras minorias pelo Brasil afora e até pelo mundo, oferece alternativa àqueles que não suportam toda aquela hipocrisia e pornografia escancarada que é o carnaval.
Esta alternativa, pra mim, desde que descobri em meados dos anos 1990 a cidade de Curitiba e, supreendentemente, uma micro cena (naquela época) undergound, é o Psychocarnival. Este ano, a 15º edição do festival Psycho Carnival teve dois momentos: um no Jokers Pub e outro no rock carnaval, organizado surpreendente pela mesma prefeitura que proibiu que o Misfits se apresentasse na cidade. As atrações nacionais foram nada mais, nada menos que  KráppulasSick Sick SinnersCrazy HorsesThe Brown Vampire Catz e Ovos Presley (que acabou não tocando por um malfadado acidente - na minha opinião, macumba). As internacionais: Salidos de La Cripta, da Colômbia e as austríacasBurning Aces e Anal Destination.

http://www.youtube.com/watch?v=3VGgcXTOkyA&list=UUVo5eSyTqwE-RLea0AWCw3Q&feature=c4-overview

Na seção que seria gratuita e evento aberto (o que não aconteceu e resultou até em facadas) teve as atrações Beijo AA Força,Pelebrói Não SeiHillbilly RawhideMotorockerCadela Maldita Mystery TrioDiablo Fuck Show (Porto Alegre), Camarones Orquestra Guitarrística (Natal),King Kurt e The Sharks (Inglaterra) e The Mullet Monster Mafia (Piracicaba).

http://www.youtube.com/watch?v=IHQRRpL-0sc

Como o blog é meu e eu falo do que eu quiser, tenho que reconhecer que todos fizeram os shows mais incríveis, mas, como já estou há anos no bico do corvo e morrendo uma morte muito lenta, - os ocasionais seguidores já leram - mas com períodos de melhoria, consegui assistir uma noite toda, que tinha exatamente uma banda que orquestrou grandes momentos desta vida pregressa, por um acaso, muitos dos piores, mas a culpa não é de ninguém. Viver é alto risco, e eu sempre corri. Pago o preço. E não me arrependo de pelo menos 20% das minhas decisões.

Quando me mudei pra Curitiba, o que ocorreu gradativamente até oficializar nos início do 21st century breakdown, a minha paixão eram os Ovos Presley. Apesar de já existir o Pelebroi, eu, burramente, acreditava num bando de zé inveja que dizia que eles e o No Milk Today, Relespública, Tetris, Magaivers, Faicheclairs, etc... eram uma panelinha de mimimi mimimi mimimi. O tempo mostrou que era o contrário. Hoje estas mesmas pessoas estão na fila do gargarejo de seus shows, alguns dublês de jornalantas.

http://www.youtube.com/watch?v=nNKJz2AO47U&list=UUVo5eSyTqwE-RLea0AWCw3Q&feature=c4-overview

A Wild GardenJá falei aqui do meu grande amor pelo No Milk, então esta edição será dedicada a favorita da minha primeira filha, dos meus ''enteados'' e de músicas que sempre fizeram parte do nosso dia a dia. Uma coisa que a gente não escolhe, ela acontece. Fiquei lembrando da Curitiba fria enquanto derretia a fantasia de zumbi numa multidão da Zombie Walk (no começo eram poucos gatos pingados e a população xingava um monte). Quase nem entro de tanta gente, mas, acabei cabendo lá dentro depois de horas de espera.

Até que após um mega show do Cadela Maldita

http://www.youtube.com/watch?v=nEZ-BB_igys

que me lembrou a primeira vinda do Slayer, lá vieram os primeiros acordes do que seria um show em que consegui me manter de pé o tempo todo e ainda bangear como nos tempos do Michael.
Eu já fiz uma entrevista nos tempos do falecido E-zine da cooperativa nacional de zineiros, e do projeto fracassado blá blá blá e é com esta que começo:

http://www.youtube.com/watch?v=nNKJz2AO47U&list=UUVo5eSyTqwE-RLea0AWCw3Q&feature=c4-overview

Fiquei ali ouvindo aquelas músicas e lembrando da minha filha mais nova pequenininha, da loucura que me deu pelo meu marido e de tanta doidice que fiz em nome de um amor doente e incompreendido (coitado) que dura até agora de minha parte pelo menos, mas, nós, os escritores, somos, como diz o Lewd, obscuros, de mente sub-reptícia. 
E se às vezes a gente consegue o que quer em todo ou em parte, é estranho olhar pra trás. E naquela montanha de gente num lugar em que até os New Yorkers que aparecem pra tocar são enxotados e roqueiro é tido como lixo, fiquei me sentindo que tinha ido ao lugar errado, mas o som tava certo e tava valendo.
Começaram com a maravilhosa Teddy Holiday Club que é a cara do festival. Parecia que eu estava abrindo de novo os cds Positivamente Mórbido e o Lágrimas Alcoólicas.

http://www.youtube.com/watch?v=JMoDl9_7TMc&list=UUVo5eSyTqwE-RLea0AWCw3Q&feature=c4-overview
Quando tocaram Céu sem cor, a mais conhecida, e por isso uma da que eu menos ouvia, embora tenha feito umas mil paródias como faço com tudo que ouço, chorei e ri muito, porque ali se encerrava um capítulo importante da nossa saga com chave de ouro sonora. Quem diria que ao contrário de ''tudo é tão legal, basta não sonhar'' não fosse virar inscrição na minha urna e sim ''tudo que era alegria hoje é um céu sem cor'' poder virar uma tatuagem. Somos Assim encerrou este, que deve ser o último show a que consegui assistir (em pé pelo menos e alive and kicking). Obrigada, de coração, a esta banda, cujas músicas me acompanharam em tantos momentos terríveis em que eu esgoelava as frases, cortava o dedo em corda de aço, e aliviava a alma. Obrigada por terem criado estas músicas.
As facadas, surpreendentemente, desta vez não foram em mim. E garotos, seus pais, crianças e bebês se juntaram numa celebração do que é o rock. Isso é rock. And roll.


É, o inferno pode congelar. Curitiba não é mais curitiba. Eu fui embora e comigo, foram nas, célebres palavras do No Milk Today, voltaram ''pra sua cova, geração maldita, que um mundo viciado em futuro nos deixou''.



terça-feira, 4 de março de 2014

Jornalantices

Quando comunicam que o jornal vai passar por uma reestruturação

image



Eu ainda me lembro do enorme desgosto com o curso de jornalismo, a tristeza por ter de abandoná-lo pelas velhas politicagens de universidades com bolsistas, e a risadaria que foi quando foi extinta a obrigatoriedade do certificado.

Mas, hoje vejo que isso foi positivo: quem escreve, maioria, é quem entende do babado! Só que não! hahahaah

Mas, sério, tem muita gente especializado escrevendo e é legal.
Não sei por que sempre adorei os grandes jornalistas, os âncoras e jurava que seria uma daquelas pessoas que tem o próprio programa. Tive um no rádio dando notícias de rock. Acabou com duas horas, contando a história dos estilos e bandas. Por isso  ''eu não aguento'' quando vejo um desinformado pagando de jornalanta.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Walcir Challas e a Woodstock na Warner!

  • Walcir Chalas Estará no Warner Channel Brasil hoje as 23:40 

  • no documentário - Heavy Metal no Brasil!

  • p quem conhece o verdadeiro metal e quer ver uma voz conhecedora dando declarações embasadas 

  • em vez do monte de otário q vemos usualmente, 

  • ou p quem ñ conhece q quer saber do q se trata, 
  • HEAVY METAL BR!
  • http://www.warnerchannel.com/?idlanguage=por&idcountry=5

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Uma lenda chamada Lemmy Kilmister




Muitos astros começam ''causando''. Começam se enfeiando, inventando gestos obscenos, protestos e demais mimimis e de repente vão se ''aviadando'' - e não tomem isso como homofobia, é a única palavra qu e cabe no afrescalhamento a que se dedicam após uns míseros trocados e conseguir pegar uma famosidade. Somente um deles tem sido fiel e linear e por isso genial em sua verossimilhança: este homem se chama Lemmy Kilmister e do Olympus nos legou o Motörhead.
Porém o tempo, este mau, sempre vem de sopetão nos mostrar que nossa vida já acabaou há décadas e  que de repente somos poeira ao vento fazendo hora extra sobre a terra. Hoje o rock e o metal são sinônimos não de protesto, de mudança ou de atitude, mas de grifinhas baratas, cabelos chapinha e batom boticário e perfume fedido de baunilha.

Apesar de ainda entre nós, o momento de o perdermos se encaminha a passos largos. E um pedaço imenso da minha inconformidade com o rumo cada dia mais afrescalhado e fútil que toma a humanidade está para desaparecer, pois ele não deixa herdeiros.

Embora visto como um dos deuses, seu corpo humano começa a dar sinais de fraqueza e sua imensa legião de fãs não foi suficiente para produzir alguém que desse o maior foda-se a tudo que é monocromático na vida e na arte.

Posso perdê-lo. Poucos, como eu, os raros e loucos, como dizia Hermann Hesse, sentirão um golpe fatal. Coisa que a geração gaminho nunca entenderá. Assim como ele, desapareceremos deste mundo, sem deixar outros que continuem a viver a vida plenamente, visceralmente e mostrando que isso é possível. A frescuragem continuará. A arte sempre indo só pelo caminho da anorexia. A pedofilia reinando. Mas lá numa galaxia distante, tenho fé, estará nos esperando Lemmy Kilmister.

...e antes deste dia, quando uma vegetação cor de vinho num céu verde nos acolher, estarei lembrando da orça que teve nossa geração.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Alerta dvd tectoy olha o perigo!











  • Olá, Meu nome é Miguel Alex e o relato a seguir aconteceu comigo e está documentado com o vídeo e as fotos (abaixo). Como considero algo muito grave e sabedor que vários pais compram DVD Tectoy para seus filhos, estou compartilhando esse post nessa página, pois essa explosão poderia ter acontecido na mão de qualquer criança, inclusive a minha filha de 1 ano e 6 meses. Comprei no início do ano o DVD da Galinha Pintadinha da Tectoy . Foi na sexta-feira, dia 17/01 e colocado para carregar pela 1ª vez. Após 1 hora na tomada o aparelho explodiu e começou a pegar fogo. Por sorte, muita sorte, eu estava em casa e apaguei o princípio do incêndio. Passado o susto, entrei em contato com o SAC da Tectoy, que pelo visto, achou que isso é a coisa mais normal do mundo. Pediram que encaminhasse um e-mail com fotos e esperasse 5 dias (Protocolo 223720) para um contato. Peço, por favor, que espalhem esse post, pois sei que muitos pais e mães tem um DVD parecido. Tenho uma câmera de segurança no meu quarto. Coloquei o vídeo no Youtube. http://youtu.be/LAtfF5gm-lY

domingo, 19 de janeiro de 2014

Smart Bikes

Sabe quando teremos estes transportes no Brasil, né, mas não custa saber que existem. Aliás, se alguém conhecer alguma importadora que não seja como as daqui qu são fachada para outros negócios, me avise:


Mas sabe quando os tiozões vão usar?
 Cena pra lá de fictícia no cenario nacional



sonhar, na verdade não custa. Vai que se muda algum esmpresário louco pra cá...



domingo, 5 de janeiro de 2014

Meus mais sinceros votos

Que este ano que se inicia seja o melhor de todos. Que todos nós consigamos ganhar pelo menos um milhãozinho cada um na loteria, ou encontrar malas de dinheiro no lixo e etc e talz. Só assim poderemos custear nossos sonhos, publicações e derivados.  Por hora estou aqui, pensando em por que razão o ano não é exatamente como os deliciosos dias passados na praia. Ou o tempo não congela quando a vida é só isso. Tão pouca coisa pra viver e pra sorrir.
Um beijo aos leitores acidentais.

Mar, areia, vento, vida em movimento

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Bem vindos a minha vida: Filme: Parente... é Serpente (Parenti Serpenti) - 1992



Enriquecendo esta nunca tão atual situação:

16/08/2010 - por Luciana Mussi na categoria 'Artigos'

“Parente é Serpente”. O Ponto de vista psicológico


Sinopse do filme “Parenti Serpenti, Itália, 1993. Diretor Mario Monicelli: Parente e Serpente1A ceia de Natal está pronta. A família Colapietro irradia paz e tranquilidade. A casa paterna se enche de risos, gritinhos de crianças, muitas lembranças em comum, muitos segredinhos, histórias picantes e fofocas para trocar. Antecipando as delícias da mesa, todos esperam o momento de começar a mais esperada comemoração do ano. Então, a matriarca da família anuncia que ela e o marido estão muito velhos para continuarem vivendo sozinhos e decidiram ir morar com um de seus filhos ou filhas. É claro que ninguém quer ficar com os velhos, e a festa ameaça virar uma autêntica batalha entre irmãos, todos ansiosos para se livrarem da incômoda responsabilidade.

Num encontro para a Ceia de Natal, uma típica família italiana deixaParente e Serpente2emergir um verdadeiro acerto de contas emocional, onde temas como o humor negro e ferino, solidão, velhice, homossexualismo e relações familiares são expostos na sua forma mais crua e quase inacreditável.

Cena1: o filme começa narrado por um garoto (mais parece uma redação escolar) que descreve as cenas familiares com seus conflitos e contradições de modo perplexo e inocente. A narração se dá ao longo do filme até o final.

As famílias nuclear (pai, mãe, filhos) e extensa (família de origem – avós) são retratadas pelo menino de forma ingênua, as características dos personagens são descritas como ele as vê e sente, ou seja, sem censura, restrições ou preconceitos.

Os papéis e funções são classicamente representados.

Observa-se que os ciclos de vida familiar seguiram seu curso, seus momentos, apesar de ficar descrito para nós no filme apenas a questão do envelhecimento, da morte dos pais e o próprio envelhecimento, sendo esta a questão central a ser discutida.

Cena2: todos os membros da família chegam para a ceia de Natal preparada pela matriarca - a irmã hipocondríaca e intrometida, acompanhada pelo marido e filho que nos conta a história, a outra irmã frustrada por não ter tido filhos, o irmão que vem acompanhado da esposa esnobe e sofisticada e por fim o irmão solteiro.

Nesta cena o que se vê é uma situação de homeostase, onde a retroalimentação é negativa porque é a “não mudança” que força o padrão para assim garantir o equilíbrio.

Quando os assuntos de conflito em potencial surgem - quando a matriarca fala da impossibilidade da filha de não poder gerar filhos, ou dos problemas de saúde imaginários da outra filha - eles imediatamente são evitados, isto ocorre para que o equilíbrio seja mantido, já que uma mudança poderá reverberar no sistema inteiro.

Durante o jantar a forma de comunicação que vai prevalecer é a mensagem analógica (expressão corporal e tom de voz) com um padrão de interação complementar, ou seja, uma comunicação patológica de complementaridade rígida onde há a presença de desconfirmação - a irmã hipocondríaca com um marido submisso, o irmão submisso com uma mulher dominadora e autoritária, a matriarca que impõe as regras e um marido que as aceita sem questionamento. Os dois pólos da relação estão continuamente se desconfirmando como quando a mãe diz para a filha não comer chocolate porque ela está gorda e minutos depois quando estão falamos algo que a menina não pode ouvir, a mãe diz para ela ir comer chocolate.

Novamente nas relações entre as irmãs e a cunhada, existe uma desintonia: as irmãs rejeitam a cunhada todas as vezes em que ela faz uma colocação, uma interferência qualquer, as irmãs a tratam como uma figura fútil e vulgar, mas a cunhada não se vê assim e isto ocorre de forma constante.

Também no diálogo entre os cônjuges a Pontuação de uma seqüência de eventos fica evidente: um hostiliza e o outro retrai e esta seqüência de estímulo resposta é reforçada.

A comunicação patológica associada é por discordância de pontuação por diferença de informação: os desentendimentos entre os elementos da família não se esclarecem, os dois lados são como pólos opostos que não tem as mesmas informações.

Cena3: quando a matriarca da família anuncia que ela e o marido estão muito velhos para continuarem morando sozinhos e decidiram ir morar com um dos filhos. É claro que ninguém quer morar com os velhos e a festa acaba por virar uma autêntica batalha entre irmãos, todos querendo se livrar da responsabilidade.

No início os filhos apóiam, dizendo que, de fato, eles precisam sair mais. Mas ao perceberam o que na verdade estava acontecendo, o cenário muda completamente, o silêncio reina no ambiente, as palavras não são mais encontradas, e o vazio se estabelece na medida em que nem tudo pode ser dito: muitos segredos, mágoas e ressentimentos estão guardados e prontos para saírem das profundezas.

Ocorre a homeorese (destruição do sistema, caos). O padrão de funcionamento é mantido pelos segredos, mágoas e ressentimentos. Se ele for quebrado mexe com todos os elementos. Por isso se opta pelo silêncio, porque o medo é muito grande.

Existe impermeabilização, duplo vínculo e desconfirmação.

Cena4: No jogo do empurra-empurra entre os irmãos, de quem vai ficam com os pais, todo conteúdo mantido a sete chaves aparece: a homossexualidade do irmão, a dependência da irmã hipocondríaca da família de origem (quando os pais ficam doentes é ela quem socorre, mas não faz isto por vontade e sim pelo vínculo rígido), a fragilidade da irmã que não pode ter filhos, a traição dos cunhados, a submissão do marido que aceita a traição.

Cena5: Os irmãos reunidos na festa de ano novo ouvem na televisão a notícia de uma estufa de gás que explodiu matando todos na casa. Como é inverno, quem sabe... e neste momento em que as palavras não são ditas, apenas circulam olhares, brota a idéia: presentear os pais com uma estufa de gás.

Afinal é necessário entrar em morfogênese, estabelecer um novo equilíbrio, mudar o padrão, não importa o que precise ser feito (mesmo que seja incendiar os pais).

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Prosa Curitibana 17- Fábio Elias da Banda Relespública -26/09/13

Orgulhosamente apresentando:


http://www.youtube.com/v/wecze0yjuMM?autohide=1&version=3&autoplay=1&attribution_tag=A7de8OCwH2jjgSkhDlBrJQ&showinfo=1&feature=share&autohide=1